20 de maio de 2021
Hashdex Insights: Quedas acentuadas no mercado de cripto

Desde a semana passada, o mercado de criptoativos entrou em um acentuado movimento de queda de preços. Como mostra o gráfico abaixo, estamos passando pelo pior drawdown desde o auge da crise do coronavírus, em março do ano passado. A maioria dos investidores da Hashdex ainda não estava conosco na ocasião e está atravessando o momento mais adverso desde que investiram em criptoativos.

Drawdowns do Bitcoin desde 2020

 

Os objetivos dessa comunicação são:

  • Explicar os fatos que desencadearam essa forte queda nos preços;

  • Reiterar os princípios da Hashdex sobre como investir com responsabilidade em criptoativos e indicar o que, na nossa visão, deve ser feito em situações como a atual.


O que está acontecendo no mercado de criptoativos?

Desde outubro do ano passado até abril último, o mercado de criptoativos experimentou uma forte valorização. Foi uma sequência ininterrupta de retornos positivos do NCI mês após mês. Tal movimento foi iniciado pelo anúncio da PayPal, sustentado pela adesão de grandes bancos e investidores institucionais e potencializado pela notícia de que a Tesla Motors havia comprado Bitcoins em sua estratégia de caixa e que aceitaria o ativo digital para compra de seus carros. Nesse período, o NCI valorizou 476% e o Bitcoin atingiu a máxima histórica próxima dos 65 mil dólares.

Durante o ciclo de alta, não obstante, houve alguns sustos, com recuos do preço do Bitcoin na casa dos 20% (gráfico acima). Na última semana, porém, observamos uma queda mais acentuada, causada por uma conjunção de fatores que foi deflagrada por dois vetores principais.

O primeiro vetor foi o anúncio de Elon Musk de que a Tesla não aceitaria mais Bitcoin para compra de seus veículos por conta de preocupações com o impacto ambiental do consumo energético da mineração. Esse tema é bastante cíclico na comunidade de cripto mas, ainda assim, a notícia deflagrou um primeiro sell-off que se estendeu por alguns dias.

Ontem, com os mercados ainda abalados pela queda dos dias anteriores e sem referência de preço, uma outra notícia, sem nenhuma relação com a da semana passada, deu mais um golpe no preço dos criptoativos: associações de mercado financeiro chinesas reiteraram as medidas de banimento de cripto nos sistemas bancário e de pagamentos estabelecidas em 2017, além de detalhá-las como, por exemplo, exigindo monitoramento dos fluxos de dinheiro envolvendo negociação de criptoativos. No mercado já fragilizado, essa notícia (erroneamente divulgada como uma nova ação do governo chinês) teve mais impacto do que teria em condições normais.

Seja de maneira deliberada ou não, o fato é que as declarações de Musk sobre criptoativos possuem forte influência sobre seus preços. Entretanto, nem a volta atrás da Tesla nem o “requentamento” da pauta do consumo de energia do Bitcoin mudam substancialmente os fundamentos das principais teses de investimentos.

Já a questão regulatória na China, que, diga-se de passagem, é bastante recorrente, especialmente em períodos de forte valorização, pode ter consequências mais palpáveis. O aperto na regulação pode restringir a liquidez dos mineradores e dificultar o trabalho das exchanges de lá, o primeiro impactando a segurança da rede e o segundo a liquidez do ativo. Independentemente disso, a natureza descentralizada dos criptoativos garante que, mesmo que alguns governos tentem restringir o seu uso, o impacto desse tipo de medida sobre o sistema seja transitório. Além disso, é bom lembrar que, por mais que o governo chinês tenha um forte viés de controle sobre a população, também é bastante pragmático e, à medida em que as restrições aos criptoativos se tornarem uma desvantagem competitiva para a China frente ao resto do mundo, elas tendem a ser afrouxadas.

Em resumo, o que estamos vivenciando no mercado de criptoativos é como uma superposição de duas ondas com origens absolutamente distintas. É importante ter em perspectiva que, nos últimos meses, muitos investidores ganharam muito comprando criptoativos e estavam esperando algum sinal para realizar seus lucros. Dito isso, nada muda em relação à nossa perspectiva para o futuro dos criptoativos. Seguimos extremamente confiantes nas potencialidades da tecnologia e na oportunidade trazida por essa nova classe de ativos.

 

Quais os princípios para investimentos em criptoativos?

Essa é a terceira ocasião na história da Hashdex na qual nos dirigimos aos nossos investidores para falar tempestivamente sobre as condições do mercado. A primeira delas foi em março do ano passado, no momento mais contundente da crise, e a segunda, em janeiro último, no dia em que o Bitcoin rompeu a barreira dos 40 mil dólares. Apesar de as duas situações serem diametralmente opostas, o princípios de investimento preconizados em ambas as ocasiões são precisamente os mesmos e, na atual circunstância, podem ser repetidos ipsis litteris:

“O primeiro deles diz respeito ao tamanho da alocação em criptoativos no seu portfólio. Sempre preconizamos que, para a maioria dos perfis de risco, o percentual alocado deve ser de um dígito, geralmente, baixo. É importante que o tamanho da alocação seja tal que, mesmo em um cenário adverso de forte queda, o investidor sinta-se confortável para mantê-la. Além disso, por ter oscilações muito diferentes dos ativos tradicionais, os criptoativos demandam rebalanceamentos de portfólio mais frequentes.

 

 O outro princípio diz respeito ao horizonte de investimento. Por mais que sejam tentadoras as oportunidades de buscar lucros rápidos nos momentos em que o mercado sobe tão aceleradamente, acertar o timing é extremamente difícil. Nossa recomendação é que os investimentos em criptoativos sejam feitos com horizontes de tempo de anos. Por exemplo, quem investiu em Bitcoin no final de 2017 só veio a ter retorno positivo no final de 2020, três anos depois.”

 

Da mesma forma que recomendamos aos investidores que contenham seus impulsos de investir nos momentos de euforia do mercado, aconselhamos a não venderem nos eventos de queda. É importante agir com cautela e manter o foco no longo prazo. Como escreveu o nosso Gestor de Portfólios em um artigo de janeiro de 2020: “Como diz o Eclesiastes, ‘tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu’. Para aqueles cujo propósito é investir nessa classe de ativos (criptoativos), o curto-prazismo ou a inconsistência podem ser motivos de arrependimento.”

Por fim, vale ressaltar que eventos como os da última semana reforçam uma das principais teses para investimentos em criptoativos: a descorrelação. Os principais eventos que impactam o preço dos criptoativos são relacionados à adoção, regulação, melhorias na tecnologia e outros que são quase que exclusivos dessa classe de ativos. Por isso, as criptos contribuem bastante para a diversificação quando adicionadas a portfólios de ativos tradicionais.

Como sempre, estamos à disposição para ajudá-los através do e-mail ri@hashdex.com

 

Abraços,

 

Equipe Hashdex