Cartas Mensais
01 de junho de 2020
Carta Mensal Hashdex - Maio 2020

Confira nesta edição: um terceiro halving sem surpresas, a chancela de Paul Tudor Jones, progresso na Libra do Facebook e MAIS...

HASHDEX DIGITAL ASSETS INDEX (HDAI)

O HDAI é um índice de criptoativos focado na representação do mercado a longo prazo. Ao contrário de muitos índices estáticos tradicionais, o HDAI não está atrelado a um número fixo de ativos. O HDAI é composto por regras automatizadas que permitem que o índice ajuste periodicamente seu número de constituintes à medida que o mercado amadurece e evolui.

FUNDOS DE INVESTIMENTOS HASHDEX

A Hashdex oferece uma família de fundos passivos que entregam aos investidores exposição aos criptoativos do HDAI. O Hashdex Criptoativos Discovery FIC FIM é destinado ao público geral e investe até 20% de seu patrimônio em criptoativos. O Hashdex Criptoativos Explorer FIC FIM é destinado a Investidores Qualificados e investe até 40% de seu patrimônio em criptoativos. O Hashdex Criptoativos Voyager FIM IE é destinado a Investidores Profissionais e investe até 100% de seu patrimônio em criptoativos. Os fundos da Hashdex estão disponíveis nas principais plataformas de investimento ou através de Agentes Autônomos de Investimentos.

PERFORMANCE DO HDAI YTD 32% | MAIO 4,5% 

VOLATILIDADE DO HDAI % AO ANO | VOL média 63,4% | VOL corrente 56,1%

MAIO: OSCILAÇÃO NO MERCADO DE CRIPTO

O mercado de criptoativos abriu o mês de maio seguindo a toada de alta observada em abril, com o HDAI chegando próximo aos 10% de valorização. No fim de semana dos dias 9 e 10, porém, houve uma forte queda, levando o resultado no mês ao campo negativo naquele momento. Esse movimento foi atribuído a uma grande liquidação de futuros de Bitcoin na exchange Bitmex. Após esse revés, veio uma recuperação de mais de 10% em relação ao vale do HDAI. Essa tendência foi quebrada por volta do dia 20, concomitante a rumores de que Bitcoins de Satoshi

Nakamoto, autor do paper sobre o Bitcoin e criador da tecnologia blockchain, teriam sido movimentados. Nos últimos dias do mês, uma apreciação de aproximadamente 7% levou o HDAI a fechar o mês com alta de 4,5%. A volatilidade caiu ao longo do mês, saindo de 69,5% para 56,1%. 

Em termos da performance dos constituintes do HDAI, maio foi bastante simétrico. Do total de quinze ativos, oito tiveram resultado negativo e sete positivo. Dentre os perdedores, o que mais sofreu foi o DASH, com queda de 12,9%. Já o Bitcoin, constituinte com maior peso no HDAI, teve a maior alta, com 12,8%.

PAUL TUDOR JONES MONTA POSIÇÃO EM BITCOIN

Paul Tudor Jones é, sem sombra de dúvida, um dos mais renomados gestores do mercado financeiro internacional. Sua notoriedade remonta à crise financeira de 1987, na chamada “segunda-feira negra”, dia em que o Tudor Group, sua companhia de investimentos, conseguiu fortes lucros com posições vendidas através de opções. A companhia, fundada em 1980, só veio a ter o seu primeiro ano de retorno negativo em 2008, ano da grande crise do subprime.

Por essas e outras, Paul Tudor Jones é um nome certo em rankings dos maiores investidores de todos os tempos. Ele é conhecido por um estilo de gestão bem peculiar, o que faz com que seus rendimentos sejam, em geral, bastante descorrelacionados do restante do mercado.

Em uma carta divulgada no início mês, Jones revelou que seu fundo Tudor BVI possui uma pequena posição, um percentual baixo de um dígito, em Bitcoin. O foco da carta é a grande expansão monetária e seus possíveis desdobramentos. Jones coloca o Bitcoin como a melhor alternativa para hedge da inflação que ele acredita que decorrerá do afrouxamento monetário que estamos presenciando. Ele também traçou paralelos entre o papel do Bitcoin hoje em dia e o do ouro nos anos 70 (período de inflação causada, principalmente, pela crise do petróleo) e colocou a digitalização das moedas acelerada pela COVID-19 como o argumento mais convincente para se carregar Bitcoins agora.

Ao nosso ver, a carta publicada por Jones e a revelação de que ele considera Bitcoin uma boa aposta são uma validação marcante na história dos criptoativos. Está implícito no anúncio que o Bitcoin passou pela diligência do investidor, fortalecendo a tese de que o mercado está pronto para os investidores institucionais. E mais: Jones possui um reconhecido track record de apostas

impopulares que terminaram por dar certo. É justo argumentar que seu posicionamento em criptoativos pode reforçar a confiança de mais investidores. De certa forma, a entrada pública de um investidor do calibre de Jones reduz o risco de reputação para outros investidores que também estejam considerando o mercado e aumenta a pressão sobre os que, injustificadamente, não possuem posições. 

PROJETO LIBRA: TRÊS NOVOS FATOS IMPORTANTES

Na última Carta Mensal, destacamos como o lançamento da chamada Libra 2.0, após um longo hiato sem notícias relevantes sobre o projeto, era um indicativo de que o Facebook e seus parceiros seguiriam tentando viabilizá-lo. Os acontecimentos de maio não deixaram dúvidas de que assim será.

No dia 6, houve o anúncio do novo CEO do Libra Association, Stuart Levey. Ele ocupava a posição de diretor jurídico do HSBC e já fora subsecretário do Departamento do Tesouro dos EUA, encarregado por combate ao terrorismo e por inteligência financeira. Levey é tido como uma pessoa de bom trânsito entre reguladores do sistema financeiro. Em sua primeira declaração no novo cargo, ele reforçou sua intenção de cooperar com governos e reguladores e destacou o aspecto de inclusão financeira do projeto.

Uma semana mais tarde, três novos fundos de investimento tornaram-se membros da associação. Dois deles são familiares ao ecossistema de cripto: a Paradigm e a Slow Ventures. Porém, chamou mais a atenção a entrada da Temasek Holdings, renomado fundo soberano de Cingapura, que possui mais de 200 bilhões de dólares sob gestão. Trata-se, também, da primeira entidade pública a aderir à associação. 

Já na última semana do mês, o Facebook renomeou a carteira digital Calibra, que permitiria transferência utilizando a Libra a partir dos seus aplicativos atuais, incluindo o Whatsapp, ou de um aplicativo específico. O novo nome, Novi, reforça a ideia de que a Libra não é um projeto exclusivo do Facebook, enquanto a carteira digital é.

Este progresso do Facebook nessas iniciativas é bastante animador para todo o espaço de criptoativos. O uso dessa tecnologia precisa tornar-se muito mais fácil e seguro para que sua adoção realmente decole. Com sua expertise no desenvolvimento de produtos largamente utilizados por pessoas e empresas em todo o mundo, o Facebook certamente será capaz de implementar uma carteira digital que resolva os maiores problemas de interatividade. Isto, aliado à sua escala de bilhões de usuários e de sua relação com milhares de organizações, pode mudar a história dos criptoativos.

BITCOIN PASSA SEM SURPRESAS PELO TERCEIRO HALVING

“Independentemente de qual seja o impacto do halving no preço do bitcoin (se é que haverá algum), o evento tem atraído a atenção de muita gente para o mercado, e tende a movimentá-lo, possivelmente com maior volatilidade e volume transacionado próximos ao evento”. Esse trecho, extraído da nossa Carta Mensal de abril, é um bom resumo do que de fato aconteceu durante o terceiro halving do Bitcoin. Aparentemente, não houve impacto no preço. Por outro lado, verificou-se um aumento substancial nos volumes negociados e na volatilidade. De fato, o Bitcoin teve uma queda de quase 18% no final de semana que antecedeu a mudança na remuneração por bloco minerado.

Outro fenômeno interessante observado nos últimos dias antes do halving foi um aumento do chamado hashrate da rede, que indica a capacidade computacional que está sendo empregada na validação de transações (mineração). No início do mês, essa taxa chegou à casa do 120 TH/s (terahashes por segundo), próxima à máxima histórica. Isso fez com que o halving acontecesse no dia 11, um dia antes do previsto, já que esse poder computacional a mais fez com que blocos fossem minerados em um tempo médio inferior a dez minutos. Depois disso, o hashrate caiu gradualmente para próximo aos 90 TH/s, valor similar à média do último trimestre do ano passado.

No âmbito da missão de educar nossos investidores e o mercado como um todo, ao longo do mês, a Hashdex produziu conteúdos especificamente relacionados ao halving. Primeiro, lançou um texto bastante abrangente, explicando em detalhes o que é o halving, apresentando e criticando as principais teorias sobre seu impacto no preço, e complementando com outras análises pertinentes. Além disso, um artigo do Gestor de Portfólios, publicado na CoinTelegraph Brasil, refutou a validade estatística do modelo stock-to-flow, um dos mais citados entre aqueles que previam uma valorização substancial do Bitcoin por conta do halving. 

REBALANCEAMENTO DO HDAI NA VIRADA DO MÊS

Como acontece a cada três meses, na virada de maio para junho tivemos o rebalanceamento do HDAI. Na rodada anterior, houve a adição de dois criptoativos que se propõem a ser meios de pagamento, o Bitcoin Cash SV e o DASH, levando para quinze o total de ativos. Agora, entrou o décimo sexto elemento, o ATOM, da rede Cosmos. Os criadores do Cosmos o definem como “a internet das blockchains”, já que sua proposta é ser uma plataforma que permite ao usuário interagir com diferentes redes de tecnologia blockchain, oferecendo ferramentas para que troquem informações e tokens entre si. O aumento do número de constituintes do índice é um sinal do desenvolvimento e da diversidade da criptoeconomia.

DESTAQUES DO MÊS

O Cofundador e CEO da Hashdex, Marcelo Sampaio, está entre as top 10 pessoas mais importantes e influentes no mercado de criptomoedas e blockchain na primeira edição do Cointelegraph Brasil Top 50.

Novidades no site da Hashdex: uma área de conteúdo mais completa foi colocada no ar em maio com mais informações para todos, em quatro categorias: Hashdex na mídia, Fique por dentro, Cartas mensais e Perguntas e respostas. Confira!

A Hashdex lançou o filme "Por que cripto tem valor?" em suas redes sociais. O filme explica em 5 minutos por que é importante estar atento à essa nova tecnologia. Não deixe de assistir e compartilhar. 

HASHDEX EM LIVES

A Hashdex organizou lives em seu canal do YouTube em maio. Se você não conseguiu assistir, confira o conteúdo:

08/05: Bitcoin e Halving: O que você precisa saber

22/05: Como armazenar criptoativos de forma segura

29/05: HDAI: Como funciona o "Ibovespa" dos criptoativos

Participamos de muitas conversas e pudemos levar conhecimento e informação sobre criptoativos e sobre a Hashdex para muita gente.

05/05: Live com Bahia Partners Investimentos, Agente Autônomo de Investimentos da XP Investimentos, no Instagram.

05/05: Conversa sobre criptoativos com Rafael Zattar da Carteira Z.

07/05: Webinar com a Faros Investimentos, Agente Autônomo de Investimentos da XP Investimentos, via Zoom.

11/05: Live com a Messem Investimentos, Agente Autônomo de Investimentos da XP Investimentos.

11/05: Podcast sobre como investir com segurança em criptoativos. Uma ótima conversa entre nosso sócio e Diretor de Tecnologia, Samir Kerbage e Jansen Costa, da Fatorial Investimentos, Agente Autônomo de Investimentos da XP Investimentos.

12/05: Live com a RGC Invest, Agente Autônomo de Investimentos da XP Investimentos.

12/05: Live com Rio Capital, Agente Autônomo de Investimentos da XP Investimentos.

14/05: Live com Genial Investimentos sobre Coronavírus e os impactos sobre a criptomoedas.

20/05: Webinar Cripto (muito além da) moeda com a Monte Bravo, Agente Autônomo de Investimentos da XP Investimentos.

21/05: Live Cripto (muito além da) moeda com a One Investimentos, Agente Autônomo de Investimentos do BTG Pactual.

21/05: Live com Veronezi, Agente Autônomo de Investimentos da XP Investimentos.

26/05: Live com Braúna Investimentos, Agente Autônomo de Investimentos da XP Investimentos.

26/05: Live com RJ Investimentos, Agente Autônomo de Investimentos da XP Investimentos.

27/05: Encontros Digitais com a InvestSmart, Agente Autônomo de Investimentos da XP Investimentos.

28/05: Live "Ouro ou Bitcoin? Como se proteger dos Bancos Centrais?" com Fernando Ulrich, da Liberta Investimentos, Agente Autônomo de Investimentos da XP Investimentos.

28/05: Live com Quaestor Investimentos, Agente Autônomo de Investimentos da XP Investimentos. 

HASHDEX NA IMPRENSA

A Hashdex ganhou visibilidade em vários veículos de imprensa no mês de maio:

MoneyTimes - Índice HDAI, que mede os criptoativos, salta 37,9% em abril, revela Hashdex

Livecoins - Fundo brasileiro de criptomoedas supera valorização do Bitcoin

InfoMoney - Halving do Bitcoin: como fica a cotação depois que a recompensa dos mineradores cair pela metade?

seudinheiro - Crise mundial aumenta procura por criptomoedas atreladas ao dólar

seudinheiro - Halving: o evento que veio para chacoalhar o mercado de criptomoedas finalmente chegou

Exame - Passado o halving, é hora de comprar bitcoins? Saiba como investir

MoneyTimes - publicação do artigo "Cenário pós-pandemia, bitcoin e altcoins", assinado pelo nosso Gestor de Portólios, João Marco Cunha

Valor Econômico - publicação do artigo "Miami com Copacabana: ativos globais em carteiras locais", assinado pelo nosso Gestor de Portólios, João Marco Cunha

Cointelegraph - publicação do artigo "Refutando o Modelo Estoque-por-Fluxo do Bitcoin", assinado pelo nosso Gestor de Portólios, João Marco Cunha